Famoso sanduíche de bauru de SP foi criado por cliente; conheça a história

Da Redação, com Minha Receita 29/10/2020 • 23:26 - Atualizado em 25/01/2021 • 12:43
Sanduíche de bauru do Ponto Chic
Sanduíche de bauru do Ponto Chic
Divulgação

Algumas pessoas dizem que o cliente tem sempre razão. E no bar Ponto Chic, em São Paulo, essa ideia foi motivo da criação do carro-chefe da casa: o sanduíche de bauru. Há mais de 80 anos, o estudante Casimiro Pinto Neto se mudou de Bauru, interior de São Paulo, para a capital para estudar Direito no Largo São Francisco, e ganhou como apelido o nome da sua cidade.

Na época, ele e um amigo iam frequentemente ao Ponto Chic, bar tradicional que reunia artistas, estudantes e intelectuais. Casimiro andava lendo bastante sobre alimentação e, numa noite de 1937, chamou o chapeiro Carlos para ditar o que queria para montar um sanduíche balanceado e nutritivo.

O sanduíche levava pão francês, fatias de rosbife, tomate, pepino em conserva e mistura de quatro tipos de queijo: prato, estepe, gouda e suíço, tudo na água fervendo com manteiga. Era assim que se derretia na época, já que não tinha chapa.

"A grande sacada foi reunir o quente e o frio. E como o queijo é derretido na água, não precisa de molho. Todo mundo passava e pedia um igual ao do Bauru. E aí se espalhou de forma muito rápida por todos os bares da região e Brasil afora", explica Rodrigo Alves, proprietário do local. Com o tempo, como o presunto cozido é historicamente popular na Europa, em especial na Alemanha, o rosbife foi trocado pelo presunto em alguns lugares.

Casimiro faleceu em 1983, mas seu legado seguiu firme e forte, principalmente entre os paulistas. O bauru foi reconhecido como patrimônio cultural do Estado de São Paulo. E, ainda hoje, o aniversário da capital é o dia de maior venda de sanduíche de Bauru no Ponto Chic.

  • Minha Receita