Lanchonete do Estadão chega a vender 1600 sanduíches de pernil por dia

Da Redação, com Minha Receita 29/10/2020 • 23:28 - Atualizado em 30/10/2020 • 00:08
Estadão chega a vender 1600 sanduíches de pernil por dia
Estadão chega a vender 1600 sanduíches de pernil por dia
Luccas Mattos/Band

Opções de bares e restaurantes não faltam em São Paulo, mas alguns estabelecimentos são sucesso garantido na capital. É o caso do Bar e Lanches Estadão, que foi fundado por portugueses em 1968, e recebe clientes 24 horas por dia em 363 dias por ano.

O estabelecimento ficava ao lado da redação do jornal Estado de São Paulo, então é fácil descobrir o porquê do nome. Em 1974, o bar mudou de dono e ganhou o prato que até hoje é carro-chefe no cardápio: o sanduíche de pernil. “São mais de 30 peças de 7 kg de pernil consumidos todos os dias”, explica o gerente Rogério César durante visita do chef Edson Leite, no quarto episódio do Minha Receita.

O pernil era comida de porta de estádio, mas desde 2012 sua venda foi proibida nesses lugares em São Paulo. No Estadão tem todo um processo para preparar a receita e o local chega a vender cerca de 1600 lanches por dia. 

“A gente recebe o pernil diariamente, salga e demora para assar em média de 3 horas e meia. São 3 horas no vapor e 30 minutos no seco, para dar aquela douradinha e ficar aquela pururuca no meio dele. Depois fazemos o tempero que vai acrescentar no molho. E vai pro banho-maria esse molho, com tomate, cebola e pimentão”, detalha Rogério.

Deu água na boca? Não à toa, o estabelecimento é tido como um dos bares mais democráticos da cidade por concentrar pessoas de todos os tipos de perfis sociais e econômicos. Assista ao vídeo e saiba mais.

  • Minha Receita